News Details

  • Home
  • História da TV Corporativa.
3 de abril de 2020 Sarah 0 Comments

História da TV Corporativa.

No começo dos anos 90, nos primeiros projetos de TV Corporativa no Brasil, eram utilizados vídeos cassetes com fitas VHS para reproduzir os conteúdos nas telas. O processo de comunicação era lento e trabalhoso, tendo em vista que para atualizar os vídeos era necessário gravar novas fitas e distribuí-las pela empresa.

Depois surgiu a TV Corporativa via satélite, que devido ao alto custo da transmissão dos conteúdos e da infraestrutura necessária no projeto, acabou limitando o uso deste canal apenas às grandes empresas.

Neste formato, cada tela é alimentada por um receptor satelital muito similar aos receptores de TV via satélite doméstico, como Sky, por exemplo. Toda a estrutura necessária para fazer o sinal chegar a todos os receptores é muito cara, pois vai desde a geração e transmissão do sinal até a locação do satélite em si. É praticamente a estrutura de uma emissora de TV via satélite tradicional.

Além disso, todas as telas exibiam a mesma programação, pois o sinal do satélite é único para todo o país. Isto torna a relação custo-benefício deste tipo de abordagem muito baixo, pois pagavam-se valores enormes por uma programação igual para todos os públicos da empresa e que geralmente eram exibidos apenas em momentos específicos do dia.

Com o surgimento das TVs e monitores com entrada USB, surgiu uma nova modalidade da TV Corporativa: a TV Pendrive. Este formato, apesar de ter sido uma solução inteligente para resolver o problema dos altos custos da TV Corporativa via satélite, fez ressurgir todos os problemas de logística dos primeiros projetos de Televisão Corporativa, quando eram utilizados fitas VHS.

Apesar da TV Pendrive ter sido uma solução inteligente para resolver o problema dos altos custos da TV Corporativa via satélite, ela fez ressurgir todos os problemas de logística dos projetos que utilizavam fitas VHS.

Com as TVs Pendrives, as telas ficavam ligadas o dia inteiro, pois não haviam os altos custos da transmissão dos vídeos, porém, devido às dificuldades logísticas, a programação raramente era atualizada. O resultado, em muitos casos, eram telas exibindo os mesmos vídeos em looping durante semanas, o que acabou prejudicando muito a eficiência desse canal.